Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado (a) sobre novas publicações e tenha acesso a conteúdo exclusivo.

Bíblia de Estudo Online

Atos 24 Estudo: Continua o Julgamento de Paulo

Atos 24 Estudo: Continua o Julgamento de Paulo

Atos 24.1 – 9: O sumo sacerdote Ananias, ao presentar sua acusação disse que Paulo estava perturbando todo o mundo e disse que ele era o principal líder da seita que eles chamavam do “caminho”.

Eles disseram também que Paulo havia profanado o Templo e blasfemava contra a Lei de Moisés e contra Deus.

Atos 24.10 – 21: Quando recebeu a oportunidade para apresentar sua defesa, Paulo fez questão de dizer que não foi encontrado em nenhum tumulto ou discussão no Templo.

Além disso, Paulo negou as acusações de blasfêmia e profanação. Confessou ser adorador do mesmo Deus, embora como seguidor do “Caminho”.

Atos 24.22 – 27: Após ouvir os dois lados, o governador Félix decidiu aguardar a presença do comandante Lísias para apresentar seu julgamento.

Dessa forma, Félix e Drusila sua esposa constantemente queriam ouvi-lo acerca de Jesus Cristo.

Dois anos se passaram e Paulo continuou preso. Félix foi substituído por Pórcio Festo, que manteve Paulo preso apenas para agradar aos judeus. (Ver Atos 23 Estudo)

Atos 24.1 – 9: O Sumo sacerdote acusa Paulo

1 Cinco dias depois, o sumo sacerdote Ananias desceu a Cesaréia com alguns dos líderes dos judeus e um advogado chamado Tértulo, os quais apresentaram ao governador suas acusações contra Paulo.

2 Quando Paulo foi chamado, Tértulo apresentou sua causa a Félix: Temos desfrutado de um longo período de paz durante o teu governo, e o teu providente cuidado resultou em reformas nesta nação.

3 Em tudo e em toda parte, excelentíssimo Félix, reconhecemos estes benefícios com profunda gratidão.

4 Todavia, a fim de não tomar-te mais tempo, peço-te o favor de ouvir-nos apenas por um pouco.

5 Verificamos que este homem é um perturbador, que promove tumultos entre os judeus pelo mundo todo. Ele é o principal cabeça da seita dos nazarenos

6 e tentou até mesmo profanar o templo; então o prendemos e quisemos julgá-lo segundo a nossa lei.

7 Mas o comandante Lísias interveio, e com muita força o arrebatou de nossas mãos e ordenou que os seus acusadores se apresentassem.

8 Se tu mesmo o interrogares, poderás verificar a verdade a respeito de todas estas acusações que estamos fazendo contra ele.

9 Os judeus confirmaram a acusação, garantindo que as afirmações eram verdadeiras.

Atos 24.10 – 21: Paulo apresenta sua defesa

10 Quando o governador lhe deu sinal para que falasse, Paulo declarou: Sei que há muitos anos tens sido juiz nesta nação; por isso, de bom grado faço minha defesa.

11 Facilmente poderás verificar que há menos de doze dias subi a Jerusalém para adorar a Deus.

12 Meus acusadores não me encontraram discutindo com ninguém no templo, nem incitando uma multidão nas sinagogas ou em qualquer outro lugar da cidade.

13 Nem tampouco podem provar-te as acusações que agora estão levantando contra mim.

14 Confesso-te, porém, que adoro o Deus dos nossos antepassados como seguidor do Caminho, a que chamam seita. Creio em tudo o que concorda com a Lei e no que está escrito nos Profetas,

15 e tenho em Deus a mesma esperança desses homens: de que haverá ressurreição tanto de justos como de injustos.

16 Por isso procuro sempre conservar minha consciência limpa diante de Deus e dos homens.

17 Depois de estar ausente por vários anos, vim a Jerusalém para trazer esmolas ao meu povo e apresentar ofertas.

18 Enquanto fazia isso, já cerimonialmente puro, encontraram-me no templo, sem envolver-me em nenhum ajuntamento ou tumulto.

19 Mas há alguns judeus da província da Ásia que deveriam estar aqui diante de ti e apresentar acusações, se é que têm algo contra mim.

20 Ou os que aqui se acham deveriam declarar que crime encontraram em mim quando fui levado perante o Sinédrio,

21 a não ser que tenha sido este: quando me apresentei a eles, bradei: Por causa da ressurreição dos mortos estou sendo julgado hoje diante de vocês.

Atos 24.22 – 27: Paulo é mantido preso por dois anos

22 Então Félix, que tinha bom conhecimento do Caminho, adiou a causa e disse: “Quando chegar o comandante Lísias, decidirei o caso de vocês”.

23 E ordenou ao centurião que mantivesse Paulo sob custódia, mas que lhe desse certa liberdade e permitisse que os seus amigos o servissem.

24 Vários dias depois, Félix veio com Drusila, sua mulher, que era judia, mandou chamar Paulo e o ouviu falar sobre a fé em Cristo Jesus.

25 Quando Paulo se pôs a discorrer acerca da justiça, do domínio próprio e do juízo vindouro, Félix teve medo e disse: “Basta, por enquanto! Pode sair. Quando achar conveniente, mandarei chamá-lo de novo”.

26 Ao mesmo tempo esperava que Paulo lhe oferecesse algum dinheiro, pelo que mandava buscá-lo frequentemente e conversava com ele.

27 Passados dois anos, Félix foi sucedido por Pórcio Festo; todavia, porque desejava manter a simpatia dos judeus, Félix deixou Paulo na prisão.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Faça Parte da Nossa Comunidade!

Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado sobre novas publicações.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.