Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado (a) sobre novas publicações e tenha acesso a conteúdo exclusivo.

Bíblia de Estudo Online

Mateus 18 Estudo: O Maior No Reino Dos Céus

Mateus 18 Estudo: O Maior No Reino Dos Céus

Mateus 18.1 – 6: O ser humano tem uma tendência natural ao desejo pelo poder. Muitos de nós querem ser grandiosos, estrelas, fenômenos, enfim.

Com os discípulos não foi diferente. Eles querem saber o que é preciso fazer para ser o maior no Reino de Deus.

A resposta de Jesus é formidável: “Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus”. (Ver Estudo Bíblico Sobre: Jesus e as Crianças).

Mateus 18.7 – 10: O Senhor faz advertência severas sobre o cuidado que devemos ter com o pecado. Devemos evitá-lo a todo custo, perder quando for necessário, pois é melhor sofrer o dano aqui na Terra do que no céu.

Mateus 18.11 – 14: A missão de Jesus Cristo envolve prioritariamente o pecador perdido. Qualquer pessoa que deseja experimentar a misericórdia de Deus e ter um recomeço recebe de Deus o perdão e a oportunidade para fazê-lo.

Mateus 18.15 – 17: Jesus ensina aos seus discípulos sobre como eles devem perseverar na construção de bons relacionamentos e evitar, a todo custo inimizades, intrigas e contendas.

Mateus 18.18 – 22: Ao passo que eles devem evitar a discórdia a todo custo eles devem ser poderosos na concordância. O Senhor garante a promessa de que tudo o que ligarmos na Terra como igreja será ligado no céu.

Mateus 18.23 – 35: Jesus encerra o assunto da concordância e do perdão contando sobre o perdão do rei dado a um de seus servos que possuía uma dívida impagável. Nem mesmo a venda de todos os seus bens era suficiente para quitá-la.

Jesus conta que após a humilhação do servo o rei lhe perdoou. Porém esse servo perdoado tinha um companheiro que lhe devia o equivalente a cem dias de trabalho.

Ele o constrangeu e ameaçou a que lhe pagasse a dívida, foi quando os servos do rei viram o acontecido e contaram a Majestade. Furioso o rei mandou que fosse preso e não saísse até que toda a dívida fosse paga.

O que Jesus deseja nos ensinar é que recebemos o maravilhoso perdão de Deus, algo sem igual. Por isso, não temos o direito de negar perdão a ninguém (Ver Estudo Bíblico Sobre Comunhão Entre os Irmãos), não importa o motivo. (Ver Mateus 17 Estudo)

Mateus 18.1 – 6: O maior no reino dos céus

1 Naquele momento os discípulos chegaram a Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos céus?”

2 Chamando uma criança, colocou-a no meio deles,

3 e disse: Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus.

4 Portanto, quem se faz humilde como esta criança, este é o maior no Reino dos céus.

5 Quem recebe uma destas crianças em meu nome, está me recebendo.

6 Mas se alguém fizer cair no pecado um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe seria amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar nas profundezas do mar.

Mateus 18.7 – 10: Cuidado com o pecado

7 Ai do mundo, por causa das coisas que fazem cair no pecado! É inevitável que tais coisas aconteçam, mas ai daquele por meio de quem elas acontecem!

8 Se a sua mão ou o seu pé o fizerem tropeçar, corte-os e jogue-os fora. É melhor entrar na vida mutilado ou aleijado do que, tendo as duas mãos ou os dois pés, ser lançado no fogo eterno.

9 E se o seu olho o fizer tropeçar, arranque-o e jogue-o fora. É melhor entrar na vida com um só olho do que, tendo os dois olhos, ser lançado no fogo do inferno.

10 Cuidado para não desprezarem um só destes pequeninos! Pois eu lhes digo que os anjos deles nos céus estão sempre vendo a face de meu Pai celeste.

Mateus 18.11 – 14: Jesus veio salvar o perdido

11 O Filho do homem veio para salvar o que se havia perdido.

12 O que acham vocês? Se alguém possui cem ovelhas, e uma delas se perde, não deixará as noventa e nove nos montes, indo procurar a que se perdeu?

13 E se conseguir encontrá-la, garanto-lhes que ele ficará mais contente com aquela ovelha do que com as noventa e nove que não se perderam.

14 Da mesma forma, o Pai de vocês, que está nos céus, não quer que nenhum destes pequeninos se perca.

Mateus 18.15 – 17: O dever de reconciliação

15 Se o seu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele, mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou seu irmão.

16 Mas se ele não o ouvir, leve consigo mais um ou dois outros, de modo que “qualquer acusação seja confirmada pelo depoimento de duas ou três testemunhas”.

17 Se ele se recusar a ouvi-los, conte à igreja; e se ele se recusar a ouvir também a igreja, trate-o como pagão ou publicano.

Mateus 18.18 – 22: O poder da concordância

18 Digo-lhes a verdade: Tudo o que vocês ligarem na terra terá sido ligado no céu, e tudo o que vocês desligarem na terra terá sido desligado no céu.

19 Também lhes digo que se dois de vocês concordarem na terra em qualquer assunto sobre o qual pedirem, isso lhes será feito por meu Pai que está nos céus.

20 Pois onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles.

21 Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes?”

22 Jesus respondeu: Eu lhe digo: Não até sete, mas até setenta vezes sete.

Mateus 18.23 – 35: Parábola do empregado mal

23 Por isso, o Reino dos céus é como um rei que desejava acertar contas com seus servos.

24 Quando começou o acerto, foi trazido à sua presença um que lhe devia uma enorme quantidade de prata.

25 Como não tinha condições de pagar, o senhor ordenou que ele, sua mulher, seus filhos e tudo o que ele possuía fossem vendidos para pagar a dívida.

26 O servo prostrou-se diante dele e lhe implorou: “Tem paciência comigo, e eu te pagarei tudo”.

27 O senhor daquele servo teve compaixão dele, cancelou a dívida e o deixou ir.

28 Mas quando aquele servo saiu, encontrou um de seus conservos, que lhe devia cem denários. Agarrou-o e começou a sufocá-lo, dizendo: “Pague-me o que me deve!”

29 Então o seu conservo caiu de joelhos e implorou-lhe: “Tenha paciência comigo, e eu lhe pagarei”.

30 Mas ele não quis. Antes, saiu e mandou lançá-lo na prisão, até que pagasse a dívida.

31 Quando os outros servos, companheiros dele, viram o que havia acontecido, ficaram muito tristes e foram contar ao seu senhor tudo o que havia acontecido.

32 Então o senhor chamou o servo e disse: “Servo mau, cancelei toda a sua dívida porque você me implorou.

33 Você não devia ter tido misericórdia do seu conservo como eu tive de você?”

34 Irado, seu senhor entregou-o aos torturadores, até que pagasse tudo o que devia.

35 “Assim também lhes fará meu Pai celestial, se cada um de vocês não perdoar de coração a seu irmão”.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Faça Parte da Nossa Comunidade!

Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado sobre novas publicações.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.