Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado (a) sobre novas publicações e tenha acesso a conteúdo exclusivo.

Bíblia de Estudo Online

Mateus 25 Estudo: A Parábola das Dez Virgens

Mateus 25 Estudo: A Parábola das Dez Virgens

Mateus 25.1 – 13: A volta de Jesus Cristo é iminente. Não podemos nos acomodar e achar que temos todo o tempo a nossa disposição para estarmos prontos.

A parábola das dez virgens nos mostra que o tempo de estarmos prontos é hoje. Aqueles que não estiverem prontos no grande dia da volta de Jesus ficarão.

Mateus 25.14 – 30: O Senhor Deus confiou a cada um de nós dons espirituais e talentos para a edificação da igreja e a pregação do Evangelho.

Devemos usá-los com dignidade e compromisso com Deus e amor ao próximo. Não devemos nunca acreditar que somos inúteis ou insignificantes pois no Reino de Deus não há isso.

Mateus 25.31 – 46: Jesus Cristo ilustra, por meio da parábola das ovelhas e as cabras quem são aqueles que o servem de forma digna e honesta. Ele revela qual o serviço agradável a Deus.

É aquele que atinge diretamente ao próximo. Servir ao próximo, ser instrumento de Deus para suprir suas necessidades, se importar com seu estado físico, espiritual e emocional são atitudes que deixam a Deus profundamente feliz.

Tais atitudes serão recompensadas na eternidade, pois ele revela: “Digo-lhes a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram”. (Ver Mateus 24 Estudo)

Mateus 25.1 – 13: A parábola das dez virgens

1 O Reino dos céus será, pois, semelhante a dez virgens que pegaram suas candeias e saíram para encontrar-se com o noivo.

2 Cinco delas eram insensatas, e cinco eram prudentes.

3 As insensatas pegaram suas candeias, mas não levaram óleo.

4 As prudentes, porém, levaram óleo em vasilhas, junto com suas candeias.

5 O noivo demorou a chegar, e todas ficaram com sono e adormeceram.

6 À meia-noite, ouviu-se um grito: “O noivo se aproxima! Saiam para encontrá-lo!”

7 Então todas as virgens acordaram e prepararam suas candeias.

8 As insensatas disseram às prudentes: “Dêem-nos um pouco do seu óleo, pois as nossas candeias estão se apagando”.

9 Elas responderam: “Não, pois pode ser que não haja o suficiente para nós e para vocês. Vão comprar óleo para vocês”.

10 E saindo elas para comprar o óleo, chegou o noivo. As virgens que estavam preparadas entraram com ele para o banquete nupcial. E a porta foi fechada.

11 Mais tarde vieram também as outras e disseram: “Senhor! Senhor! Abra a porta para nós!”

12 Mas ele respondeu: “A verdade é que não as conheço!”

13 Portanto, vigiem, porque vocês não sabem o dia nem a hora!

Mateus 25.14 – 30: A parábola dos talentos

14 E também será como um homem que, ao sair de viagem, chamou seus servos e confiou-lhes os seus bens.

15 A um deu cinco talentos, a outro dois, e a outro um; a cada um de acordo com a sua capacidade. Em seguida partiu de viagem.

16 O que havia recebido cinco talentos saiu imediatamente, aplicou-os, e ganhou mais cinco.

17 Também o que tinha dois talentos ganhou mais dois.

18 Mas o que tinha recebido um talento saiu, cavou um buraco no chão e escondeu o dinheiro do seu senhor.

19 Depois de muito tempo o senhor daqueles servos voltou e acertou contas com eles.

20 O que tinha recebido cinco talentos trouxe os outros cinco e disse: “O senhor me confiou cinco talentos; veja, eu ganhei mais cinco”.

21 O senhor respondeu: “Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco, eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria do seu senhor!”

22 Veio também o que tinha recebido dois talentos e disse: “O senhor me confiou dois talentos; veja, eu ganhei mais dois”.

23 O senhor respondeu: “Muito bem, servo bom e fiel! Você foi fiel no pouco, eu o porei sobre o muito. Venha e participe da alegria do seu senhor!”

24 Por fim veio o que tinha recebido um talento e disse: “Eu sabia que o senhor é um homem severo, que colhe onde não plantou e junta onde não semeou.

25 Por isso, tive medo, saí e escondi o seu talento no chão. Veja, aqui está o que lhe pertence”.

26 O senhor respondeu: “Servo mau e negligente! Você sabia que eu colho onde não plantei e junto onde não semeei?

27 Então você devia ter confiado o meu dinheiro aos banqueiros, para que, quando eu voltasse, o recebesse de volta com juros.

28 “Tirem o talento dele e entreguem-no ao que tem dez.

29 Pois a quem tem, mais será dado, e terá em grande quantidade. Mas a quem não tem, até o que tem lhe será tirado.

30 E lancem fora o servo inútil, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes”.

Mateus 25.31 – 46: Parábola das ovelhas e as cabras

31 Quando o Filho do homem vier em sua glória, com todos os anjos, assentar-se-á em seu trono na glória celestial.

32 Todas as nações serão reunidas diante dele, e ele separará umas das outras como o pastor separa as ovelhas dos bodes.

33 E colocará as ovelhas à sua direita e os bodes à sua esquerda.

34 Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: “Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo.

35 Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram;

36 necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram”.

37 Então os justos lhe responderão: “Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber?

38 Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos?

39 Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar?”

40 O Rei responderá: “Digo-lhes a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram”.

41 Então ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: “Malditos, apartem-se de mim para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos.

42 Pois eu tive fome, e vocês não me deram de comer; tive sede, e nada me deram para beber;

43 fui estrangeiro, e vocês não me acolheram; necessitei de roupas, e vocês não me vestiram; estive enfermo e preso, e vocês não me visitaram”.

44 Eles também responderão: “Senhor, quando te vimos com fome ou com sede ou estrangeiro ou necessitado de roupas ou enfermo ou preso, e não te ajudamos?”

45 Ele responderá: “Digo-lhes a verdade: O que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo”.

46 “E estes irão para o castigo eterno, mas os justos para a vida eterna”.

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Faça Parte da Nossa Comunidade!

Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado sobre novas publicações.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.