Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado (a) sobre novas publicações e tenha acesso a conteúdo exclusivo.

Estudos Bíblicos

Estudo Bíblico Sobre Barnabé Homem de Deus: Aprendendo a Amar!

Barnabé é um dos cristãos mais frutíferos e importantes da Igreja de todos os tempos. Seu testemunho e amor ao próximo são exemplos a serem seguidos de perto. LEIA O ARTIGO e saiba mais sobre ele.

Estudo Bíblico Sobre Barnabé Homem de Deus: Aprendendo a Amar!

Uma das grandes riquezas da Comunidade Cristã do primeiro século foram as referências. E uma delas é Barnabé. Um homem de Deus que é importante para o nosso crescimento ainda hoje.

Neste estudo bíblico veremos:

Quem foi Barnabé;

As virtudes de Barnabé;

O ministério de Barnabé;

A influência de Barnabé;

Barnabé e Paulo

Espero que você goste. Deus abençoe!

Quem Foi Barnabé? 

“José, um levita de Chipre a quem os apóstolos deram o nome de Barnabé, que significa encorajador, vendeu um campo que possuía, trouxe o dinheiro e o colocou aos pés dos apóstolos. ” (Atos 4:36,37)

José era filho de pais judeus, descendentes da tribo de Levi e natural de Chipre. Chipre é uma das maiores ilhas do Mar Mediterrâneo. Com 238 quilômetros de comprimento e 24 a 64 quilômetros de largura.

José era uma pessoa tão amorosa, companheira e parecida com Jesus que a comunidade cristã e os apóstolos mudaram seu nome para Barnabé.

O nome tem tudo a ver com ele, Barnabé significa: filho de consolação, filho de exortação ou filho de encorajamento.

Isso nos ajuda a perceber que ele não vivia de aparência. A começar que a Igreja naturalmente passou a chamá-lo dessa forma por causa de seu comportamento.

Barnabé era um cristão focado no próximo. Liberal. O Reino de Deus e a Igreja ocupavam a prioridade de sua vida. A prova disso?

Ele vendeu uma propriedade e entregou o valor como oferta.

Características de Barnabé 

“Ele era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé”. (Atos 11.24)

Além de ser extremamente acolhedor, generoso e amigo Barnabé também possuía outras características espirituais.

Ele era um homem bom (Mais sobre isso no artigo: Jesus o Bom Pastor). As Escrituras dão um destaque a essa virtude: “pois o fruto da luz consiste em toda bondade, justiça e verdade. ” (Efésios 5:9)

Ou seja, Barnabé era um homem justo. As pessoas o amavam. Respeitavam seus posicionamentos e sempre queriam ouvi-lo porque ele acrescentava a comunidade não apenas com palavras, mas sobretudo com atitudes de bondade.

Atitudes que enriqueciam e muito a convivência de uns com os outros. Ele era um facilitador de convivências.

Cheio do Espírito Santo. O Espírito Santo controlava Barnabé inteiramente. Seu comportamento e decisões eram todos influenciados por ele.

Dessa forma era natural para ele manifestar entre os irmãos os frutos do Espírito.

“Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.” (Gálatas 5:22,23)

Cheio de fé. Barnabé era um visionário da fé (Ana a Mulher Que Não Desistiu de Sonhar). Não é muito proveitoso para os santos terem uma vida limpa se não são crentes.

A fé dominava a sua visão. Quando a Igreja desconfiava da conversão de Saulo ele o acolheu (Atos 9.26-28). Apenas alguém cheio de fé poderia fazer isso.

Faça Parte da Nossa Comunidade!

Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado sobre novas publicações.

Barnabé e Paulo 

Quem Foi Barnabé?

“Quando chegou a Jerusalém, tentou reunir-se aos discípulos, mas todos estavam com medo dele, não acreditando que fosse realmente um discípulo. Então Barnabé o levou aos apóstolos e lhes contou como, no caminho, Saulo vira o Senhor, que lhe falara, e como em Damasco ele havia pregado corajosamente em nome de Jesus. ” (Atos 9:26,27)

Um dos maiores problemas enfrentados por Paulo no princípio da sua caminhada cristã foi a desconfiança (Bartimeu a Fé que Nunca Se Cala). Embora seu testemunho fosse muito forte – ele viu o Senhor (Atos 9.4,5) – a igreja não conseguia confiar nele.

Paulo havia encarcerado e assassinado muitos cristãos, inclusive Estevão um dos líderes da Igreja (Atos 7.55-58).

Ao conhecer a história de Paulo – seu testemunho – Barnabé assumiu a responsabilidade pela vida dele.

Não desconfiou como os demais. Apresentou Paulo as lideranças da Igreja como um verdadeiro cristão.

O apóstolo Paulo escreveu mais da metade do Novo Testamento. O maior ganhador de almas e plantador de Igrejas de todos os tempos.

A importância da vida do apóstolo Paulo para a Igreja é sem precedentes. Mas tudo isso começou através da pessoa amorosa de Barnabé, que acreditava nas pessoas e estava sempre disposto a ajudá-las.

As Viagens Missionárias de Barnabé e Paulo 

As Viagens Missionárias de Paulo e Barnabé

“Então Barnabé foi a Tarso procurar Saulo e, quando o encontrou, levou-o para Antioquia. Assim, durante um ano inteiro Barnabé e Saulo se reuniram com a igreja e ensinaram a muitos. Em Antioquia, os discípulos foram pela primeira vez chamados cristãos. ” (Atos 11:25,26)

A expansão da Igreja após a ascensão de Jesus se deu de forma estratosférica. “(…) o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos. ” (Atos 2:47). Não apenas entre os judeus, os gentios passaram a crer na mensagem a respeito de Jesus (Atos 15.3).

Esse crescimento se deu de forma especial em Antioquia. O que motivou a Igreja a enviar Barnabé para conhecer a nova comunidade de irmãos.

Ao chegar lá ele percebeu que havia muito trabalho e não podia desenvolvê-lo sozinho. Foi então a procura de Paulo, para ajudá-lo. Mas aonde Paulo estava a essa altura?

Logo após ser aceito pela Igreja e reconhecido como cristão autêntico, Paulo dedicou seu ministério a região da Síria e da Cilicia, pregando o Evangelho de forma enérgica ao redor de Tarso, sua cidade natal.

Catorze anos depois, quando Barnabé foi procurá-lo o encontrou em Tarso. “Quando o encontrou, levou-o para Antioquia. ”  (Gálatas 2.1).

O reencontro entre Barnabé e Paulo resultou em um ano inteiro de pregações empolgantes, fervorosas e apaixonadas em Antioquia.

Algo bem diferente dos nossos dias. Aonde somos cercados – em um bom número de Igrejas – por pregações chatas e entediantes.

O resultado foi uma grande quantidade de conversões e uma Igreja atuante, sincera e forte.

Faça Parte da Nossa Comunidade!

Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado sobre novas publicações.

Pela primeira vez “cristãos” 

O impacto foi tão profundo que uma nova palavra foi criada para categorizar os indivíduos dessa nova comunidade. Cristãos!

“Em Antioquia, os discípulos foram pela primeira vez chamados cristãos. ” O termo grego original é christianous e significa “pequenos Cristos”.

Isso nos faz entender o quanto os crentes de Antioquia possuíam as características do próprio Jesus.

Barnabé e Paulo em Jerusalém 

“Naqueles dias alguns profetas desceram de Jerusalém para Antioquia. Um deles, Ágabo, levantou-se e pelo Espírito predisse que uma grande fome sobreviria a todo o mundo romano, o que aconteceu durante o reinado de Cláudio. Os discípulos, cada um segundo as suas possibilidades, decidiram providenciar ajuda para os irmãos que viviam na Judéia. E o fizeram, enviando suas ofertas aos presbíteros pelas mãos de Barnabé e Saulo.” (Atos 11:27-30)

A maioria dos cristãos relevantes aparecem de forma decisiva em momentos de crise. Foi o caso de Barnabé e Paulo em Antioquia.

Os profetas da Igreja anunciaram uma grande fome sobre o império Romano. A despeito disso a Igreja não ficou parada. Não recebeu a notícia e ficou apenas orando.

A liberalidade dos irmãos de Antioquia 

Os discípulos, cada um segundo as suas possibilidades, decidiram providenciar ajuda para os irmãos que viviam na Judéia. E o fizeram, enviando suas ofertas aos presbíteros pelas mãos de Barnabé e Paulo.

Não houve apelo exagerado do tipo: “faça uma oferta de sacrifício! ”. Cada um contribuiu de forma generosa, segundo as suas possibilidades. Não se iluda!

Mas segundo as suas possibilidades eles se anteciparam ao problema e cuidaram de seus irmãos em Cristo.

Dessa forma Barnabé nos ensina a desenvolver um estilo de vida cristã que inspire confiança. Segurança.

A Igreja confiou uma quantidade razoável de dinheiro nas mãos dele e de Paulo. Confiou a eles a missão de confortar os irmãos de Jerusalém por meio de uma oferta generosa.

Barnabé e Paulo na Ásia Menor 

“Na igreja de Antioquia havia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo. Enquanto adoravam ao Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo: “Separem-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”. Assim, depois de jejuar e orar, impuseram-lhes as mãos e os enviaram.” (Atos 13:1-3)

O espaço que Barnabé conquistou no seio de Igreja foi uma consequência do Cristão exemplar que ele era.

Ele desenvolveu um ministério sólido e cheio de frutos ao longo do tempo. Transformando-o em uma das mais importantes lideranças cristãs do primeiro século, de tal maneira que o novo testamento o coloca como apóstolo (Atos 14.14).

Barnabé era envolvido em atividades espirituais saudáveis da Igreja. Encontros para oração e jejum contavam sempre com a sua presença.

Foi exatamente em um desses encontros que o Espírito Santo comunicou sua vontade. “”Separem-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”.

Barnabé era fruto de uma Igreja sadia. Consequentemente ele era um cristão sadio, a despeito de todas as suas virtudes. Estava inserido em uma comunidade que procurava ouvir a Deus. E o próprio Deus o separou.

Seria muito simplista e até hipócrita da minha parte dizer – em nossos dias – que se o Espírito Santo escolher você para algo específico, você será facilmente orientado nesse caminho.

A Igreja de Antioquia creu e obedeceu a direção do Espírito Santo e enviou a Barnabé e Paulo, mas sem ajuda financeira. Essa viagem foi financiada pela Igreja de Filipos (Filipenses 4.15,16).

“(…) Desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre. Chegando em Salamina, proclamaram a palavra de Deus nas sinagogas judaicas. João estava com eles como auxiliar. Viajaram por toda a ilha, até que chegaram a Pafos”. (Atos 13:4-6)

Barnabé e Paulo ou Paulo e Barnabé 

Durante a viagem pela Ásia, Paulo alcança um grande destaque na pregação do Evangelho. A sabedoria, intrepidez e o poder com os quais ele falava sobre Jesus arrebatava o coração dos ouvintes.

Desse ponto em diante, em lugar de “Barnabé e Paulo” (Atos 11.30; Atos 12.25; Ats 13,2,7) ouvia-se falar de “Paulo e Barnabé” (Atos 13.43,46,50; Atos 14.20; Atos 15.2,22,35).

Em nenhum momento as Escrituras mostram Barnabé com ciúmes, desprezo ou rancor com relação a Paulo.

O coração convertido de Barnabé tinha apenas uma preocupação, que o Senhor Jesus fosse glorificado.

Faça Parte da Nossa Comunidade!

Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado sobre novas publicações.

De Volta a Jerusalém – O Fim da Primeira Viagem 

“Isso levou Paulo e Barnabé a uma grande contenda e discussão com eles. Assim, Paulo e Barnabé foram designados, juntamente com outros, para irem a Jerusalém tratar dessa questão com os apóstolos e com os presbíteros. ” (Atos 15.2)

Com o grande número de conversão entre os gentios começaram a surgir os problemas com os judeus. E um deles era a circuncisão.

Esse assunto era a “Eleição e Predestinação” da época. Um grupo acreditava que os cristãos gentios deviam circuncidar-se. Outro grupo achava que não era necessário.

Paulo era um deles! O resultado?

Discussões. Discussões quentes!

“Isso levou Paulo e Barnabé a uma grande contenda e discussão com eles.” (Atos 15.2)

A questão ficou séria e toda a liderança da Igreja se reuniu em Jerusalém para discutir a questão.

Barnabé e Paulo pregam para os gentios 

Barnabé e Paulo Pregam Para os Gentios

Todos os grupos argumentaram. Cristãos judaizantes. Barnabé e Paulo sobre o seu ministério entre os gentios. Pedro relatou sua experiência com a família de Cornélio e ao final Tiago, tomou a palavra e a questão foi decidida da seguinte forma:

“Pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não impor a vocês nada além das seguintes exigências necessárias: Abster-se de comida sacrificada aos ídolos, do sangue, da carne de animais estrangulados e da imoralidade sexual. Vocês farão bem em evitar essas coisas. Que tudo lhes vá bem.” (Atos 15:28,29)

Os irmãos voltaram para Antioquia com as boas notícias. O coração da Igreja se alegrou, os gentios foram oficialmente aceitos entre os cristãos.

Barnabé e Paulo tinham total liberdade para trabalhar entre eles!

De Volta a Antioquia 

“Algum tempo depois, Paulo disse a Barnabé: “Voltemos para visitar os irmãos em todas as cidades onde pregamos a palavra do Senhor, para ver como estão indo”. Barnabé queria levar João, também chamado Marcos. ” (Atos 15:36,37)

Após a vitória no concilio de Jerusalém o apóstolo Paulo propôs a Barnabé que eles voltassem em visita as Igrejas que haviam plantado.

Barnabé adorou a ideia. Ele só tinha um pedido, queria levar João, também chamado Marcos. Paulo, não!

Esse foi o gatilho para um grande problema. A princípio parecia uma questão banal a considerar o grau de maturidade cristã e a espiritualidade desses dois gigantes da fé.

Mas nenhum dos dois cedeu. Resultado?

Tiveram um desentendimento tão sério que se separaram. Barnabé, levando consigo Marcos, navegou para Chipre, mas Paulo escolheu Silas e partiu, encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. ” (Atos 15:39,40)

Isso me ensina uma preciosa lição. Não importa quão espiritual sejamos, continuaremos humanos. Todos nós!

Paulo não quis ceder com base nos seus motivos. Barnabé também não, com base nos seus motivos. O resultado foi a separação de uma das duplas evangelísticas mais produtivas na história da Igreja de todos os tempos.

Barnabé seguiu viagem com João Marcos, seu primo (Colossenses 4.10) para Chipre (Atos 15). Paulo convidou a Silas para ser seu novo parceiro e foi para Síria e Cilícia.

Conclusão 

Após sua separação do apóstolo Paulo, Barnabé não é mais citado por Lucas no livro de Atos. Contudo, ele continuou com seu ministério (I Coríntios 9:6).

As muitas virtudes desse homem de Deus ainda hoje são preciosas.

A minha oração é que o Senhor Deus, o Espírito Santo possa encontrar em nós – ou gerar – o mesmo nível de fidelidade, devoção e empenho no Reino de Deus.

Gostaria de fazer três perguntas:

O que você acha que precisa mudar na Igreja atual para produzir pessoas como Barnabé?

O que você acha do amor ao próximo na Igreja dos nossos dias?

Por que você acha que a questão da vocação ministerial não é mais tão espiritual quanto antes?

Responda as perguntas, compartilhe sua opinião com o mundo. Aqui você é livre. Só não vale o desrespeito.

Aproveite e inscreva-se no nosso canal. Deus abençoe!

Sobre o autor | Website

Diego Nascimento é membro da Primeira Igreja Batista de João Pessoa, estudante de Teologia e Administração. Seu amor por Jesus o inspirou a fundar esse site.

Faça Parte da Nossa Comunidade!

Gostou do nosso conteúdo? Cadastre seu e-mail e seja informado sobre novas publicações.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.